Páginas

Mostrando postagens com marcador Política. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Política. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 9 de setembro de 2020

Sem resposta: Quem explodiu a Rádio Farol FM?

Após oito anos  do ocorrido, a Polícia Federal não apontou os responsáveis nem concluiu se foi  atentado ou pirotecnia.


Imagem de câmaras de monitoramento do centro da cidade

Atentado ou Pirotecnia?
Oito anos se passaram, no entanto até hoje a comunidade palmarina não tem conhecimento de quem foi o responsável pela explosão do estúdio da Rádio Farol FM. A ação  pode ter influenciado de forma indireta no resultado das eleições para prefeito em União dos Palmares em 2012.

O Fato
Na madrugada de quinta-feira 03 de setembro de 2012, dois homens explodiram parte do prédio onde fica instalada a Rádio Farol FM, pertencente ao deputado federal João Caldas (PEN), no município de União dos Palmares, deixando os equipamentos totalmente destruídos. A rádio fazia oposição à Prefeitura e havia divulgado áudios que revelava diálogos entre o ex-governador Manoel Gomes de Barros e o ex-prefeito Areski Freitas.

Você acredita que esse fato foi um ato político? 


Com a resposta a Polícia Federal com o apoio e empenho do deputado JHC. 

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

Nesse sábado o Mesa Z, conversará com a Professora Silvany


Pré- candidata a prefeita de União dos Palmares


                                     Professora Silvany                             foto: Ivan Nunes

Fique ligado, a partir do meio dia, na Rádio Zumbi FM.
Apresentação: Professor Nivaldo Marinho

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Ex-presidente do PSDB, Jereissati confirma boicote econômico ao governo Dilma




"O partido cometeu um conjunto de erros memoráveis. O primeiro foi questionar o resultado eleitoral. Começou no dia seguinte (à eleição). Não é da nossa história e do nosso perfil. Não questionamos as instituições, respeitamos a democracia. O segundo erro foi votar contra princípios básicos nossos, sobretudo na economia, só para ser contra o PT. Mas o grande erro, e boa parte do PSDB se opôs a isso, foi entrar no governo Temer. Foi a gota d’água, junto com os problemas do Aécio (Neves). Fomos engolidos pela tentação do poder", Tasso Jereissati.

Não precisa nem explicar a frase do senador cearense. Ele, um dos parlamentares mais respeitados do partido, deixou claro que o PSDB votou matérias que vão contra os princípios do partido só para ser contra o PT. Ou seja, Tasso confessa que seu partido boicotou o país (pois os projetos dizem respeito ao Brasil, não ao Partido dos Trabalhadores) só para ser contra a situação. Essa declaração vem no mesmo momento que a campanha da presidenta Dilma solta um ótimo documentário demonstrando como o Golpe começou dias antes mesmo da eleição. 

fonte: 
https://www.ocafezinho.com/2018/09/14/ex-preside...ao-governo-dilma/ 

sábado, 13 de janeiro de 2018

Big Brother para os políticos já!




A cantora e ativista Rita Lee teve uma daquelas idéias brilhantes, dignas do seu gênio criativo. Reclamando da inutilidade de programas como o Big Brother, ela deu a seguinte sugestão: - Colocar todos os pré-candidatos à presidência da República trancados em uma casa, debatendo e discutindo seus respectivos programas de governo.

Sem marqueteiros, sem assessores, sem máscaras e sem discursos ensaiados. Toda semana o público vota e elimina um. No final do programa, o vencedor ganharia o cargo público máximo do país. Além de acabar com o enfadonho e repetitivo horário político, a população conheceria o verdadeiro caráter dos candidatos.

Assim, quem financiaria essa casa seria o repasse de parte do valor dos telefonemas que a casa receberia e ninguém mais precisará corromper empreiteiras ou empresas de lixo sob a alegação de cobrir o 'fundo de campanha'. A idéia não é incrivelmente boa? Se você também gostou, mande essa mensagem para os amigos e faça coro pela campanha: Casa dos Politicos, já !!!  

Rita Lee.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Primeiro Voto Popular no Brasil




No dia 7 de janeiro de 1789 aconteceu o primeiro voto popular no Brasil, mas a história do voto no Brasil começou ainda mais cedo, em 1532 com a eleição do conselho municipal da vila de São Vicente. Durante quase três séculos as eleições brasileiras foram realizadas sem legislação própria. A primeira legislação eleitoral só passou a existir após a independência, em 1824, por ordem do imperador D. Pedro I.

O voto no Brasil só tornou-se realmente democrático no recente século XX. A legislação de 1932 concedeu direito de voto às mulheres e trouxe também o voto secreto, que, embora ameaçado pelo Estado Novo e pelo Golpe Militar, foi restabelecido em 1985 com uma emenda constitucional que também concedeu direito de voto aos maiores de 16 anos e aos analfabetos.

A década de 90 trouxe grandes avanços ao sistema eleitoral. Em 1993 um plebiscito permitiu a população brasileira escolher a forma e o sistema de governo, venceram a república e o presidencialismo em detrimento à monarquia e ao parlamentarismo. Em 1994 o mandato para presidente foi reduzido de 5 para 4 anos. Entre 1996 e 2000 foram introduzidas urnas eletrônicas em todo o país e em 1997 uma emenda constitucional possibilitou a reeleição.

Hoje o Brasil possui um dos mais avançados sistemas eleitorais do mundo. E para a eficiência do processo democrático é necessária a conscientização do povo sobre as suas responsabilidades individuais e a importância do voto na manutenção da democracia.


O projeto Voto Consciente é uma ação suprapartidária que busca sensibilizar o eleitor sobre a importância do voto, o funcionamento dos três poderes e a estrutura do processo eleitoral. Esta iniciativa pioneira é realizada pela Philips em parceria com a organização não-governamental Transparência Brasil e conta com diversas ações tanto no Brasil como no exterior.

Fonte: www.sustentabilidade.philips.com.br/publi-primeiro-voto-pop-bras.htm

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Deputado JHC: Voto perdido

JHC perde os votos de quem é contrário ao golpe



"Hoje fiz questão de deixar claro (via WhatsApp) o meu repúdio ao voto proferido pelo deputado João Henrique Caldas - JHC (PSB-AL), me sinto indignado por ajudar a eleger alguém que hoje fica marcado como um dos que assassinaram a democracia brasileira rasgando 54 milhões de votos diretos e válidos", Felipe Marinho.

domingo, 27 de março de 2016

A voz do Robertão!

Quem será essa voz?

Luiz Carlos: Presidente da Associação dos Moradores do Robertão

Na ausência do governo, Seu Luiz Carlos da Silva, presidente da Associação Comunitário dos Moradores do Bairro Roberto Correia de Araújo tem sido um importante aliado da comunidade. Suas cobranças são por melhorias para o bairro são constantes e incansáveis.

O Roberto Correia de Araújo é um dos bairros mais antigos de União. Foi criado através de uma ESTRATÉGIA POLÍTICA em 1975 entre Rubinho e Suruag na primeira eleição de Mano quando disputou com José Correia Viana. No momento foram doados mais de três mil terrenos, culminando na vitória de Mano, com pouco mais de 500 votos de diferença.

O Robertão, como é chamado o bairro Roberto Correia de Araújo, sofre com a ausência do governo e não tem nenhum representante na câmara, mesmo tendo apresentado bons nomes na última eleição, como se destaca Seu Luiz, Sergio Rogério, Oberdan Camilo, entre outros.

Esse ano esses representante do bairro vão novamente colocar seus nomes a disposição da comunidade, esperamos que o bairro eleja pelo menos um representante, para diminuir o abismo entre o governo e o povo. 


domingo, 13 de março de 2016

Bloco verde “amarelou”

Kil de Freitas diz que não tem nada haver com o bloco, apenas divulgou no seu face

prefeitável Kil de Freitas

Divulgado em diversas redes sociais, o 'Bloco da Paz', que prometia fazer um gigantesco arrastão neste domingo (13 de março), saindo do ginásio de esportes Manoel Gomes de Barros e percorrendo as principais ruas e avenidas da cidade, foi cancelado pela Justiça Eleitoral.

Tal bloco, curiosamente, foi nomenclaturado por "Bloco da Paz"; porém, o que se percebe, nitidamente, é que apenas o "contorno" das letras é branco, enquanto que seu preenchimento é totalmente "verde". Talvez tenha sido essa a interpretação de tal juiz, já que a "cor verde" estaria fazendo alusão ao Bloco Tudo Verde, de utilização pelo ex-prefeito, e não à paz, que deveria ser "branco". Julgou-se, além disso, que tal realização seria propaganda eleitoral.

Veja defesa 
"Amigos, venho informar que recebi, ontem, à tardinha, uma intimação da Justiça Eleitoral informando que o Bloco Tudo Verde, promovido pela produtora Paulinho Som, estaria cancelado. Quero informar que, apesar de intimado para parar com a realização do mencionado bloco, não tenho haver com sua realização. Na verdade , o empresário, acima citado, utilizou-se do nome "Tudo Verde", que, na época, foi utilizado por mim no período que fui prefeito. Quero informar ainda que, apesar de não estar na realização do bloco, divulguei na minha página do Facebook por ser um bloco que promovia a paz e proporcionava lazer para a população", finaliza Kil de Freitas.

Fonte: face e o palmarino

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Cadê a bandeira? Cadê a cidadania?



Prejudicada por um histórico absurdo de escândalos de corrupção envolvendo quase toda sua classe política, a população de União dos Palmares mantém um nível altíssimo de alienação. Após mais uma troca de prefeito, a preocupação não era sobre pagamentos de salários, falta de medicamentos, de limpeza urbana ou os rumos das investigações dos esquemas ilegais dos gestores. O povo queria saber mesmo era se Beto Baía confirmaria Márcia Fellipe como atração da festa da padroeira e se faria festa no carnaval. Um problema bem mais grave do que o gosto musical.

Com trajes verdes, parecendo o Luigi do game Mário Brother, o vice-prefeito de União dos Palmares, Eduardo Pedrosa, quis “inovar” uma tradição religiosa e cultural de 181 anos. Tomado pelo desespero de um boato de que a Justiça lhe tomaria o comando da Prefeitura no dia seguinte à Procissão do Mastro de Santa Maria Madalena, Pedrosa tentou garantir o hasteamento da bandeira da padroeira naquele mesmo domingo, dia 17. Teve que esperar até a procissão da bandeira, mas sua reza não evitou que seu cargo descesse pelo cano, pela segunda vez. O titular Beto Baía reassumiu na última terça (26).

Fonte: Coluna Labafero _ Davi Soares

domingo, 29 de novembro de 2015

Prefeito Interino Eduardo Pedroza informa que acata a decisão da justiça e deixa o cargo


Ex- prefeito interino Eduardo Pedrosa

Com muita tranquilidade e confiança na justiça Divina, informo à população de União que deixo o cargo de prefeito acatando a decisão da justiça na certeza de ter cumprido o meu papel como gestor e na absoluta certeza do desempenho e dedicação de todos os nossos secretários, assessores, vereadores, associações, líderes comunitários, ao povo humilde de nossa terra e a todos os amigos.

Agradeço a Deus, a Nossa Senhora, a Santa Maria Madalena a oportunidade de ter servido minha cidade e poder contribuir com o seu desenvolvimento. Agradeço a minha esposa Gilvani, minhas filhas e meu filho Gustavo e Lucas, sobrinhos e toda minha família, pela ajuda importante nestes 34 dias. Obrigado ao povo de União pelo apoio, incentivo, mensagens e ajuda.

Continuemos orando a Deus pedindo sua proteção, sua benção e sua ajuda. O Trabalho Continua!


Eduardo Pedroza.

Fonte: https://www.facebook.com/profile.php?id=100010665787712&fref=ts

sábado, 7 de novembro de 2015

Pra não Dizer que não Falei das Flores

Foto: internet

"Pra não dizer que não falei das flores" (também conhecida como "Caminhando") é uma canção escrita e interpretada por Geraldo Vandré. Ficou em segundo lugar no Festival Internacional da Canção de 1968. Teve sua execução proibida durante anos, após tornar-se um hino de resistência do movimento civil e estudantil que fazia oposição à ditadura militar brasileira, e ser censurada.

A classificação da música em segundo lugar, sendo a favorita disparado do público, rendeu episódios de fúria popular contra os jurados, xingados e com seus carros danificados à saída do evento. A atriz Bibi Ferreira, uma das juradas que tiveram seu carro atacado, deu a maior nota da noite à canção e saiu do estádio do Maracanãzinho decepcionada com o resultado. Ziraldo, por exemplo, outro dos jurados, deu nota 10 para "Caminhando" e 5 para as outras músicas, inclusive a vencedora.
 Apenas em 1991, Walter Clark, diretor-geral da Rede Globo de Televisão na época, a organizadora e transmissora do festival, revelou em sua autobiografia que a direção da emissora recebeu ordens do comando do I Exército para que nem "Caminhando" nem "América, América", de César Roldão Vieira, extremamente críticas ao governo, vencessem o festival.
Boni, o segundo em comando da rede, anos depois declarou que o júri tinha sido soberano e não sofrera nenhuma pressão, desconhecendo o fato narrado por Walter Clark. O festival foi vencido por Sabiá de Chico Buarque de Hollanda e Tom Jobim. Anos mais tarde, Boni confessou que "ver Tom e Chico sendo vaiados era doloroso e Vandré ter perdido dava uma sensação de vazio".
"Em seus versos, Vandré cita a luta armada e a imobilidade das pessoas que defendiam a diplomacia, critica os movimentos que pregavam "paz e amor", mostrando que de nada adiantava "falar de flores" àqueles que atacam com armas".


O sucesso da canção, que incitava o povo à resistência, levou os militares a proibí-la, usando como pretexto a "ofensa" à instituição contida nos versos "Há soldados armados, amados ou não / Quase todos perdidos de armas na mão / Nos quartéis lhes ensinam uma antiga lição / de morrer pela pátria e viver sem razão".

A primeira cantora a interpretar "Caminhando" após o período em que a canção esteve censurada foi Simone, em 1979, conquistando enorme sucesso de crítica e público. A canção também foi regravada por Luiz Gonzaga, Ana Belén, Zé Ramalho e Charlie Brown Jr, sendo a versão deste último presente na trilha sonora da minissérie Plano Alto..

Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Bata na mesa prefeito!

Mas devagar! Mostre que em União agora tem prefeito

Foto: Nivaldo Marinho                Prefeito Eduardo Pedrosa


Durante todo o governo de Beto Baia ouvimos isso do mais simples gari aos “adevogados”, o prefeito não bate na mesa, todos fazem o que querem. É hora de o novo prefeito fazer diferente e mostrar que União tem comando.

Existem ações que só o gestor pode fazer e não precisa de dinheiro, mas planejamento, coragem e vontade política. Tudo que faltou nos últimos governos que administraram a galinha dos ovos de ouro. Para satisfazer determinados grupos, se omitiram ou se acovardaram negando e sacrificando o bem estar a toda população.  

Ações como: regulamentação do trânsito, revitalização da feira livre, horário de funcionamento, feriados municipais, proibição de construções irregulares, invasão de espaços públicos, horário da limpeza urbana, diálogo com o povo e imprensa, prestação de contas, transparência... Nada disso precisa de recursos financeiros para ser realizado, mas de determinação e vontade de fazer.

Portanto, como dizia o vereadore Biu Crente e seus pares (pena que só dizia) bata na mesa prefeito! União está lhe dando um voto de confiança, agora é com você. Estamos na torcida, pensando positivo. 

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

DEMISSÕES: secretários trocam seis por meia dúzia para atender vereadores

Contratados podem está sendo usados como moeda de troca no tratado de paz do governo Baia 

Beto Baia e Adelino Angelo

Nessa segunda feira, 19, o vereador Paulo Cavalcanti soltou o verbo na sessão ordinária da câmara municipal, o alvo de suas criticas e desafetos foi o secretário de educação Adelino Ângelo que segundo o vereador estaria demitindo os servidores contratados e por conta disso estaria responsabilizando os vereadores.

O parlamentar repudiou a ação do secretário pela falta de ética e de respeito com o Poder Legislativo. “Se estiver tirando seis e empregando meia dúzia para atender pedidos de vereadores, dê a nomenclatura dos parlamentares favorecidos, não generalizem. Está evidenciado que a crise não é financeira, é política”. Ressaltou.

Essa semana o secretário de comunicação Ivan Nunes publicou em seu blog que Cícero Aureliano, Fabian Holanda, Elvinho, Preguinho e Biu Crente estariam engrossando o caldo da base governista, fato que não foi negado pelos parlamentares na última sessão ordinária. O presidente Tita tentou justificar de forma tímida, disse que é normal essa mudança nos contratos, pois são cargos temporários e o secretário pode mudar quando achar necessário e as criticas recebidas fazem parte do jogo.

Portanto, os servidores contratados são vítimas de uma crise política, ética e moral para garantir a sustentabilidade do governo com maioria na câmara.  Essa mudança de comportamento e de atitude já era esperada, contudo só evidencia que o projeto da oposição é se dá bem.
É parlamentar ou pra lamentar! 

sábado, 26 de setembro de 2015

MUDANÇA É PRIORIDADE

Por Joaquim Maria




Na minha pequena cidade
No interior de Alagoas
Eu vou contar numa boa
Com toda praticidade
O roteiro da política
Ao povo eu dou a dica
MUDANÇA É PRIORIDADE!
  
O atual prefeito quebrou
Com corrente, cordas e embira
Esse tal de bota e tira
Sem confiança, empacou
A cidade está na lama
E o prefeito com má fama
A investigação comprovou.

Todos querendo sentar
Na cadeira do palácio
Que hoje está um bagaço
Dá dó até em falar
Foram tantas bundas sujas
Só de lembrar nos abusa
Fico triste ao recordar.
  
Tem um que saiu recente
E agora que voltar
Dizendo que vai mudar
Vai ser tudo diferente
Tudo vai ser licitado
E com o preço adequado
Sem superfaturamento.

Um diz eu quero voltar
Forçando de todo jeito
Eu quero ser o prefeito
Eu gosto é de mandar
Eu troco chute, dou tapa
Seja na mão ou na faca
O palácio é meu lugar.

Tem outro que saiu corrido
Mas vive dizendo assim
Dessa vez, agora sim
União será servido
“Quero ver meu povo ordeiro
Fora deste cativeiro
Livre de todo castigo”

Um cabra vive pulando
Que nem galinha em poleiro
Pense num homem fuleiro
Nos partidos se encostando
Já deu vários botes errados
Hoje todos estão ligados
Sai candidato, vai esperando...

Outro fica divulgando
Seu nome ao léu, ao vento
Para ver se em algum momento
O nome acaba pegando
Dá tijolo, barro e sopa
Achando que o povo é trouxa
E na prefeitura tá pensando

Existe outro candidato
De um partido nanico
Até sozinho eu fico
Sem coligação eu acato
Sou forte como um leão
Serei prefeito de União
Estou coo povo de fato.

Se o eleitor dessa vez
Acertar num bom prefeito
Que tivesse força e jeito
Honestidade e altivez
Era possível que na cidade
Houvesse prosperidade
Quem sabe um dia, talvez...
  
Depois de tudo contado
Você não ache opção
Ore pra Deus, meu irmão
Pra que voltar ao passado?
E dê um voto certeiro
Pra que o nosso povo inteiro
Tenha o destino mudado

Sabendo da necessidade
De um candidato escolher
Para o seu voto valer
Com força e dignidade
Deixe o seu desejo expresso
Lembre dos primeiros versos
MUDANÇA É PRIORIDADE!

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

União dos Palmares realiza Conferência Municipal do PCdoB

Por Mariana Moura


Jairo Campos foi eleito presidente do diretório municipal


No último domingo 13, foi realizada a Conferência Municipal para renovar a atuação do Partido Comunista do Brasil no berço da Liberdade. Com caráter amplo, a Conferência contou com a presença do PT e do PDT sinalizando o campo político nacional a ser reafirmado na defesa da democracia, da soberania nacional e do mandato da presidenta Dilma.

O novo Comitê Municipal do PCdoB em União dos Palmares tem um grande desafio: reconstruir e consolidar a atuação dos Comunistas na terra que é o símbolo de lutas e resistência.

Jairo Campos, Reitor da Universidade Estadual de Alagoas (UNEAL) foi eleito o presidente do PCdoB de União dos Palmares. Campos reafirmou seu compromisso com o crescimento do Partido no estado e garantiu enfrentamento aos desafios que se constitui nessa trajetória, entre eles “articular a união dos partidos de esquerda em Alagoas e não permitir o enfraquecimento da defesa da democracia e dos direitos do povo”. “É tempo de coerência e responsabilidade social”, lembrou o presidente eleito.

O CM é composto de mais 7 membros: Nivaldo (vice-presidente), Madson (Secretaria de Organização), Jair (Secretaria de Finanças), Yeda (Secretaria de Mulheres), Jailton (Secretaria de Juventude), Cizino (Secretaria de Diversidade Sexual) e Igor (Secretaria de Juventude).

Além da nova Direção Municipal, a Conferência elegeu também os 4 delegados à Conferência Estadual do PCdoB de Alagoas, a ser realizada nos dias 6 e 7 de novembro em Maceió.


Para encerrar a manhã agitada, seguiu-se uma festa marcada por uma deliciosa feijoada.

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Como derrubar (ou enquadrar) o poder que nos governa?

Por Luiz Flávio Gomes



Nas sociedades constitucionalmente democráticas e (mais ou menos) civilizadas (mesmo que se trate de democracia puramente formal, eleitoral, não cidadã, como é o nosso caso), a derrubada ou o enquadramento do poder governante considerado insatisfatório (por corrupção, incompetência, falta de apoio popular etc.), se faz por meio do direito vigente. O impeachment de Collor (por todas as razões que acabam de ser invocadas) constitui exemplo disso.

Não podemos, no entanto, ser idiotas ou ingênuos a ponto de não perceber que o direito triunfa somente quando, “para além das boas razões, tem do seu lado a contundência da força” (Carlos María Vilas,El poder y la política, p. 43).

Se nossa democracia ainda é puramente eleitoral (formal), não cidadã (esta é a que respeita os direitos de todos, sem as barbáries das desigualdades brutais praticadas pelo estrambólico capitalismo tupiniquim – veja F. Giambiagi, Capitalismo: modo de usar), é porque (quase sempre) nos faltou a necessária força para mudar a nefasta realidade (força essa que tem que ser igual ou superior à que sustenta um determinado grupo ou governo no poder, embora deslegitimado e corroído por incompetência ou corrupção).

Que tipo de força é essa que derruba ou enquadra um poder? Fora das democracias, é a força bruta, a força física, a violência, a força das armas (Silent leges inter arma, dizia Cícero).  O golpe civil-militar de 1964 andou por esse tenebroso caminho. Os político-civilmente covardes, que não suportam nos ombros o peso da ética e da democracia real, logo aderiram (e aderem) aos golpes (às estruturas de poder). Nada mais confortável (para os covardes ou oportunistas) que terceiros tomarem conta do país (ou da educação dos nossos filhos) sem a necessidade do nosso esforço.

Nas democracias existem duas forças que derrubam ou enquadram o poder: uma é visível (força das massas rebeladas); a outra é invisível (no nosso neofeudalismo, são forças econômicas e financeiras suseranas, que têm o poder político como vassalo). A primeira é mais emocional. A segunda é predominantemente racional (ninguém quer saber de arruinar mais ainda o país onde estão seus negócios, suas famílias etc.).

No nosso atual momento de conjugação de crises agudas (política, econômica, social, jurídica e ética), as forças invisíveis estão divididas. Algumas, porque satisfeitas, querem a permanência do PT no governo (bancos, por exemplo); outras, não. Como são preponderantemente racionais, nada decidirão enquanto não se souber quem vai suceder o PT, em que condições, com quais articulações políticas, quais garantias de governabilidade etc.

As forças visíveis (massas rebeladas) são cada vez mais conscientes de que não bastam a invocação dos direitos legais ou mesmo argumentos discursivos. O fiat-alba (que, no final, derrubou o Collor), no mundo da podridão da mafiocracia vivida pelo Brasil, não é difícil de encontrar.

É a força comunicativa, associativa e ativa das redes civis e sociais, particularmente nas ruas (é preciso tirar a bunda do sofá), que constitui a poderosa ferramenta das mudanças (seja para avançar na conquista dos direitos, seja para reduzir drasticamente a injustiça da opressão e das desigualdades e impor novos padrões de justiça e bem-estar, seja para apoiar as instituições que estão funcionando, seja, enfim, para derrubar ou enquadrar um governo, que já não atende nem sequer as expectativas elementares).

“A única coisa que mete medo em político é o povo nas ruas” (dizia Ulysses Guimarães). Atualizando essa célebre frase diríamos: na mafiocracia, as duas coisas que metem medo em político são: (a) o povo nas ruas e (b) a falta de financiadores para suas campanhas, aos quais eles vendem a alma dos seus mandatos.
  
Fonte: Alagoas 24 Horas

Luiz Flávio Gomes, jurista e presidente do Instituto Avante Brasil

domingo, 6 de setembro de 2015

Não abandonei Beto Baia, foi ele que me abandonou!

Laelson Barbosa

(Em Mesa Z 05/09)
Professor Laelson Barbosa
Quem sou eu
Sou professor há trinta anos estou em sala de aula, atualmente leciono no município de Maceió. Sou ativista e amante da política, marchei durante 10 anos ao lado de Beto Baia, mas em 2008 nas eleições de deputado Beto nos abandonou, no momento fui convidado para coordenar a campanha de Nelito e fiquei até a última eleição com Mano. Desde criança cresci ouvindo dizer que Mano não prestava, precisava conhecê-lo de perto.

Ideologia
Tenho minha opinião e ideologia política, estive afastado, mas voltei porque o nível de discussão da politica em nosso município está muito fraco, perdemos muito ao longo do tempo, estou sem partido, mas pretendo ser candidato na próxima eleição.

Governo Beto Baia
Beto assumiu a prefeitura em momento de crise. A usina fechou, as empresa da reconstrução foram embora, além da crise nacional, são fatores que não podemos negar que atrapalha a gestão, contudo o básico precisava ser feito, mas Beto não tem grupo, o que discutimos ao longo de 10 anos, ele fez tudo diferente. Não tem comando nem pulso firme para administrar União.

Crise e sucessão de Beto
Com a crise política todos se acham no direito de ser candidato, até o momento ninguém sabe quem é quem, contudo só apontando a crise do governo Baia ninguém ganha à eleição. Beto ainda é muito forte, pois está com o “poder”, na hora de formar os grupos isso pesa muito. Não será supressa se Beto e Mano se juntar, isso já aconteceu em uma época menos provável quando Afrânio se juntou com Mano.

Candidatos
Na majoritária nada está definido ainda, Zé Alfredo já começou a sua campanha usando a estrutura de sua empresa, resta saber se ele terá fôlego suficiente para manter esse pique até lá. É demagogia dizer que essas ações assistencialistas não é politica. Ele se mostra um excelente secretário de SEINFRA, para prefeito ele precisa mostrar seus planos para educação, saúde, cultura entre outros.  

Saio feliz daqui hoje em saber que União ainda tem uma rádio imparcial, não apoio a falta de respeito com os gestores impostas nas outras emissoras, Mano não deveria permitir essa prática, é vergonhoso ouvir essas coisa partindo de União dos Palmares, a terra da liberdade.

quinta-feira, 11 de junho de 2015

A importância do vice prefeito


Como já ocorreu em eleições passadas é grande a discussão em torno de quem será  o vice de algumas chapas. Poucos têm peito para assumir esta posição. Uns lançam-se como pré-candidato a prefeito para poder se valorizar – já dando mostra do caráter político – e conseguir ser vice com mais “moral”.  Tem gente que tenta tomar presidência de partido para poder oferecesse como vice a algum patrão. E por aí vai. Porem, todas essas discussões colocam em destaque a função de vice-prefeito.

Figura representativa e identificada com a democracia, pois é o único regime que possui a figura do vice. Não havendo, portanto vice-ditador, vice-imperador, vice Papa. O vice é personagem importante na grande maioria das instituições, sejam elas políticas ou não. É mais importante quanto mais democrática seja a instituição, e quanto forem valorizados os acordos pré-eleições.

Sua presença está sempre a lembrar ao prefeito que ninguém é insubstituível, que é preciso manter se alerta ao exercício das virtudes da humildade, da prudência, da constância e do trabalho. Claro que para isso o vice tem que se fazer político.

Vice, do latim “em vez de”, “substituição”, não deixa de ter significado amedrontador na política, onde não há espaços vazios, onde o vácuo é imediatamente ocupado por outras pretensões, pelo mais forte ou mais oportunista. Portanto, o momento atual é bastante adequado para se especular e avaliar a real importância e consequências da escolha de parceiros de chapas.

Não resta dúvida de que a instituição do vice, pronto a assumir as funções do titular na ausência ou impedimento deste, é benéfica à continuidade da administração pública, apesar dos eventuais problemas políticos que possam surgir de convivência entre titular e substituto legal, quando, por exemplo, o vice se aproveita da ausência do titular para baixar um decreto populista e de autopromoção política. Este tem, pela força da legislação, legitimidade e representatividade, resultante do processo eleitoral.

É bom lembrarmos que a figura do vice tem desempenhado relevante papel na história brasileira, seja desde o seu nascedouro, com o desempenho do presidente Floriano Peixoto na “velha república”, passando por Café Filho na “república nova”, e muito mais recentemente, durante a “nova república”, em duas oportunidades os vices demonstraram sua importância para a manutenção da democracia, com a posse dos presidentes José Sarney e Itamar Franco.

Assim, a verdadeira concepção da importância dos vices aperfeiçoa o sistema democrático e faz valer o voto dos cidadãos.

Fonte: blog do Luiz Santos

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Carlos Leão deverá ser o nome do Psol para prefeito de União

A priori Carlos Leão é o nome indicado pelo partido



Há pouco mais de um de um ano para eleições municipais, já é grande o movimento nos bastidores para o pleito eleitoral de 2016. Atento as mudanças na reforma política, os partidos “nanicos” começam a se articular na formação de grupos visando concorrer as vagas no legislativo e/ou executivo.

Há quem diga que essa eleição será a oportunidade de uma real mudança no cenário politico palmarino, tendo em vista o desgaste e a falta de créditos de nossos políticos. O candidato  deverá ser muito bom “ou ter muito dinheiro” para conquistar o voto do eleitor, que está “escaldado” com tantas promessas e mentiras.

Carlos Leão deverá ser o candidato do Psol em União dos Palmares. É servidor público, honesto e têm planos para desenvolver nosso município, qualidade ímpar nos dias atuais. Seu maior obstáculo para concorrer a eleições é ser sincero, pois o povo está acostumado a ser enganado e votar em sobrenomes.

Portanto, União tem mais uma opção, chamada CARLOS LEÃO.

 ESSE É DE LUTA!

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Prefeito Baia vai para o paredão e o vice poderá ser o novo líder no BB União

O prefeito Carlos Alberto Baia está nas mão da justiça e dos vereadores

Vice prefeito Eduardo Pedrosa

Quem apostou em uma reviravolta no segundo semestre do governo Baia, se enganou e perdeu feio. A gestão não consegue sair do zero, não existem metas, planejamentos nem comunicação no executivo, à comunidade fica alheia às decisões tomadas pelo gestor. O governo não mostra o que faz nem porque não faz, dando espaço para o crescimento da oposição que investe na propaganda do quanto pior melhor.

A oposição fez  uma jogada de mestre, criaram o G13, e obtiveram a maioria absoluta na câmara, ou seja poderão afastar o prefeito em tempo record, pois a CEI já fez toda investigação.  A preocupação agora é para obedecer aos trâmites da lei visando não cometer o mesmo erro da comissão especial de inquérito. Resta saber se a DEFESA de Beto vai convencer aos parlamentares.

Como na política de União só não se vê boi voar, podemos esperar de tudo dessa gente. Uma coisa é certa, o povo mais uma vez será deixado de lado. Os jogos de interesses pessoais vão além do limite na terra da liberdade.

Contudo, se o povo tiver um pouco de respeito e vergonha dará a resposta nas urnas em 2016. Quem viver verá.