Páginas

domingo, 11 de abril de 2021

Eleições em União: do Ilariê ao Enfica

 Histórias da política palmarina

Foto de arquivo Iran Menezes

Em 1988 o programa Xou da Xuxa bombava na TV brasileira. Acertadamente, marqueteiros políticos aproveitaram o “xuxesso” e transformaram o hino da Rainha dos Baixinhos em Jingle político do candidato Iran Menezes, que, além do hino, contava também com apoio do deputado estadual Afrânio Vergetti.


Ganhando vida própria, não sei por que o “magrinho de ouro” desagradou o deputado, aí, para sua sucessão, houve uma junção. Manoel Gomes de Barros lançava José Praxedes, ex-assessor, e para poder derrubar o prefeito das praças e o mais popular da zona rural tinha que haver uma junção poderosa, então os Vergetti indicam Jorge Vieira para vice. Só assim poderiam derrotar o candidato apoiado pela prefeitura. Após as eleições de 92 aconteceu um racha naquela “união”; então, em 96, Afrânio Vergetti resolve voltar à prefeitura concorrendo contra José Pedrosa e Iran, agora apoiados por Mano, em uma eleição complicada e bastante violenta.

Em 2000, Mano apoia a reeleição de Vergetti em “gratidão” ao apoio dado para ele na eleição para governador em 98. No meio do mandato Mano volta a apoiar José Predrosa, que da noite para o dia, em 2002, recebe de bandeja a prefeitura. De lá para cá Mano vem apoiando, ou engolindo, os apoiados pela administração municipal, foi assim com Kil, imposto por João Lyra, para vice de Pedrosa, foi assim novamente com Kil imposto por Predrosa para ser prefeito, pois Pedrosa sabia que ele (Kil) não mais se reelegeria e assim Predrosa voltava com todo gás à prefeitura via eleições 2012, mas nem tudo saiu com se esperava.


Faço essa pequena introdução para dizer que agora em 2012 temos eleições para prefeito, vice e vereadores e a junção Mano/Vergetti estará, provavelmente, de volta. Vamos refletir: quem já viu em União alguém de oposição a Mano ou a quem ele apoie dar entrevista aberta na rádio AG e ainda mais para falar sobre eleições e pior tendo o próprio Mano com adversário? Foi o que aconteceu dias atrás com o pré-candidato da família Vergetti.
Desculpem-me os candidatos, mas o que parece é que no momento do registro das candidaturas querem dar força dizendo que houve uma "união", pois, assim, dará bem mais crédito e grandeza para a chapa majoritária. Assim farão o velho discurso “resolvemos nos unir para o bem de União”. Está junção, para mim, já está bem definida. Será que ao menos a música de campanha será enfica? Acho que sim, pois essas junções só colocaram União cada vez mais enficado no buraco do coronelismo, do mandatarismo, do autoritarismo e tantas outras mazelas deixadas por quem sempre se uniu, na verdade, em busca de seus interesses particulares.

 

 

Sérgio  Rogério
ACORDA UNIÃO

http://acordauniao.blogspot.com/2012/05/eleicoes-em-uniao-do-ilarie-ao-enfica.html postado em 08 de maio de 2012

Leia também:

UNIÃO: ORGULHO E VERGONHA NO ÚLTIMO MEIO SÉCULO.

sábado, 10 de abril de 2021

MOÇÃO DE REPÚDIO AO RETORNO ÀS AULAS PRESENCIAIS EM ALAGOAS

 


Nós, enquantocoletivos envolvidos com a Educação no Estado de Alagoas, à saber: Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educaçãoem Alagoas –(ANFOPE- AL), Associação dos Docentes da Universidade Federal de Alagoas (ADUFAL), Centro de Educação - UFAL (CEDU),  Fórum Alagoano de Educação de Jovens e Adultos (FAEJA), Fórum Alagoano de Defesa da Educação Infantil (FADEDI) e SINDICATO DOS TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO DE ALAGOAS (SINTEAL), vimos, por meio desta moção de Repúdio, nos posicionarmos contrários à volta às aulas de maneira presencial, neste momento pandêmico 2020/2021, em muitos municípios alagoanos, considerando os argumentos abaixo listados.  

 

O Brasil é o país que lidera o ranking mundial de mortes causadas pela Pandemia do COVID-19. Temos atualmente uma das maiores taxas detransmissão e de óbitos do mundo, com a marca de mais de 330mil mortosalcançada no último mês.

Além disso, a pandemia tem sido responsável por sobrecarregar o sistema de saúde, hoje incapaz de atender toda a demanda de pacientes com COVID-19, bem como de tratar outras patologias. As maiores vítimas ainda continuam sendo as pessoas de baixa renda, mesmo observando que o vírus não escolhe classe social, raça ou gênero. No entanto, observa-se que é a classe trabalhadora pobre é a mais vulnerável e umadas mais atingidas por essa pandemia que vem escancarar as desigualdades sociais no nosso país e mais especificamente no Nordeste do Brasil, o que aparece com evidência nas comunidades mais vulneráveis, especificamente, do interior do País.

Temos o Programa Nacional de Imunização, iniciado no país, mas como bem mostram os especialistas, está muito distante de atender as demandas de imunização de rebanho. Nesta perspectiva, o ideal seriater 70% da população imunizada para que se pudéssemos, assim, abrir escolas e demais  instituições que com margem de segurança.

Neste sentido, compreende-se que os municípios ao sinalizarem  para  a abertura das escolas públicas  põem em risco milhares de vidas. Ressaltamos os exemplos de vários estados e países que até tentaram retorno das atividades escolares, mas recuaram por verem o aumento e o risco de contaminação e ter casos reais de contaminados. A exemplo do estado doAmazonas e de países como Portugal, Itália e Reino Unido, as autoridades resolveramrecuar com os planos de reabertura, mesmo com todos os protocolos instalados.

Diante desse fato, este Fórum repudia totalmente a postura desses municípios de não priorizarem vidas de estudantes, professores e demais profissionais das escolas, preferindo arriscar a vida das pessoas, considerando que os professores e as professoras, apesar de estarem, na relação de prioridade da vacinação, ainda não foram vacinados. No tocante aos estudantes, observa-se que ainda não chegou vacina para todos as pessoas no Brasil, e que as crianças e os jovens que antes eram considerados de menor risco,hoje tambémestão sendo acometidos por essaterrível doença.

Essa situação de insegurança é o que nos faz, enquanto coletivosenquanto coletivos comprometidos com a Educação de Alagoas, lutarmos em defesa da vida de crianças, jovens, adultos e idosos, a partir de uma educação humanizadora, ética e responsável. Sendo assim, nos contrapomos a atitude de abertura de escolas nesse contexto pandêmico, considerando o que está exposto na carta de alerta dos cientistas aos gestores e governantes brasileiros, que aqui trazemos na íntegra, na esperança de um repensar dos gestores municipais.

Para educar, como nos ensina o educador pernambucano, filósofo Paulo Freire, precisamos de amorosidade, ética e diálogo, princípios que deveriam ser referência para quem visa o bem de toda pessoa humana e todo cidadão e cidadã desse país. Assim como Freire, entendemos que não é possível fazer comparativos de escolas públicas com escolas privadas, porém, é preciso ter esse senso de cuidado e empatia, principalmente, para comcidadãos que ainda continuam sendo vítimas de exclusão social, um dos grupos mais vulneráveis da nossa sociedade. 

Por fim, compreendemos que apenas através do que nos recomendam os cientistas, do respeito, da ética e da priorização de vidas, que está exposto na carta de alerta dos cientistas aos gestores e governantes brasileiros, que aqui trazemos na íntegra é que podemos dialogar e ter uma educação mais humana e mais solidária na defesa da vida e não do mercado, do lucro e do conteudíssimo. Com uma educação humanizadora, só assim poderemos  construir um país, um estado, um município mais tolerantes, democráticos e que respeitam as diversidades e possibilidades humanas a FAVOR DA VIDA.

EM DEFESA DA VIDA!

VACINA PARA TODA A POPULAÇÃO PELO SUS!

Maceió, 08 de Abril de 2021.


Assinam este documento

ASSOCIAÇÃO NACIONAL PELA FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO - ANFOPE- ALAGOAS

ASSOCIAÇÃO DOS DOCENTES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS (ADUFAL),

COLETIVO DO FÓRUM ALAGOANO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS FAEJA-AL

CENTRO DE EDUCAÇÃO – CEDU

SINDICATO DOS TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO DE ALAGOAS



quarta-feira, 7 de abril de 2021

Sessão Ordinária da Câmara Municipal de União dos Palmares Sessão 11/2021

 


05 de abril de 2021

Início: 19h30min

Presidida por Sandro Jorge

Vereadores presentes:

  • Sandro Jorge (MDB)
  • Thor Vicente (PTB)
  • Givanildo Gomes da Silva - Nenzinha (PSL)
  • Dé Moto Taxi (PSD)
  • Neto Cavalcanti (PSD)
  • Manoel Messias (PSD)
  • Marcos Filho (CIDADANIA)
  • Jailson Vicente (MDB)
  • Leonardo
  • Macarrão da Barra (PSL)
  • Milton do Complementar (PROS)
  • Almir MDB
  • Wellington Ferreira (PROS)
  • Ricardo PTB

 

Vereadores Faltosos:

  • Manoel Preguinho (PSL)

 

Justificativa das faltas: sem

Desconto por falta: 900,00

Desconto por falta acumulado: 18.000,00

 

Ata: aprovada com retificação de Ricardo Praxedes

·        A fala de Ricardo foi ocultada;

 

Expediente da semana:  

Ordem do dia:

Requerimento de Givanildo Gomes da Silva solicitando de Edemir Morais, secretário de planejamento a construção de um novo cemitério;

Indicação do vereador Manoel Messias solicitando da secretaria de saúde que os professores também seja incluído na lista de prioridade de vacinação;

Paulo Neto diz que o cronograma do governo federal o professor será o último e cita que os presidiários estão na frente;

 

Facultada a palavra

Paulo Neto

Fala da comemoração do dia do altista

Diz que a câmara com 04 meses já entra na história com seus trabalhos e projetos aprovados (piada do dia) (39:27)

Milton do complementar

Oficio para a secretaria de saúde agradecendo a mesma por acatar sua sugestão de fazer os testes rápidos nos servidores do complementar;

Ricardo praxedes

Requerimento para a secretária de saúde solicitando que coloque os transportadores complementares, taxistas e mototaxista na lista de prioridade da vacina

Oficio cobrando resposta ao requerimento que cobra a finalidade da desapropriação das terras de Zé Ricardo e os contratos de locação de máquinas e transporte da prefeitura;

Repudia o retorno das aulas e liga a necessidade de favorecer a família que comprou parte das rotas dos transportes; (4:38)

Diz que a escola é um matadouro;

Cobra posição da câmara que vai de encontro ao decreto de Alagoas

Os demais vereadores se calam e se omitem acerca do retorno das aulas, em "respeito ao patrão";

 

Término da sessão: 08h30min