Páginas

quarta-feira, 28 de abril de 2021

Sessão Ordinária da Câmara Municipal de União dos Palmares Sessão 14/2021

 


26 de abril de 2021

Início: 8h

Presidida por Almir Belarmino

Vereadores presentes:

  • Givanildo Vicente - THOR (PTB)
  • Givanildo Gomes da Silva - Nenzinha (PSL)
  • Manole balbino – Dé  (PSD)
  • Neto Cavalcanti (PSD)
  • Manoel Messias (PSD)
  • Marcos Filho (CIDADANIA)
  • Jailson Vicente (MDB)
  • Leonardo (SOLIDARIEDADE)
  •  Macarrão da Barra (PSL)
  • Almir Belarmino (MDB)
  • Wellington Ferreira (PROS)
  • Sandro Jorge (MDB)
  • Milton do Complementar (PROS)
  • Ricardo (PTB)

 

Vereadores Faltosos:

Justificativa das faltas:

Desconto por falta

Desconto por falta acumulado: 20.700,00

 

Ata: aprovada sem discussão

Expediente da semana:  

Ofício da secretaria do meio ambiente informando que o serviço de restauração da Praça da COHAB velha já foi realizado;

Oficio HSVP enviando relatório de recursos financeiros referente aos recursos acerca do covid;

Oficio HSVP comunicando que todos os equipamentos do hospital foram adquiridos com recursos próprios ou emendas parlamentares independentes da prefeitura. Informa ainda que recebeu dos ventiladores pulmonares e repassou um para o HRM;

Oficio da comissão de educação convocando os membros para reunião a fim de discutir o projeto de lei municipal 02/2001 que altera dispositivo da lei;

Projeto de lei do vereador Manoel Balbino , que institui o dia municipal do moto taxista;

Parecer da comissão de Legislação e justiça desfavorável ao projeto de lei que visa dispensar taxa de comerciantes afetados pela pandemia; (42:08)

Jailson Vicente diz que o projeto é constitucional mais tem falha na redação;

Ricardo lamenta a posição dos vereadores ligados ao prefeito que negaram a oportunidade de ajudar ao povo;

Netinho, em de líder do governo, ironiza e diminui o projeto de Ricardo, diz que o mesmo foi mal assessorado e tem muitas falhas;

Bancada governista nega o projeto;

 

Parecer da comissão de Legislação e justiça desfavorável ao projeto de lei que visa dispensar taxa de IPTU para os comerciantes afetados pela pandemia;

Bancada governista nega o projeto

Requerimento do vereador Manoel Balbino para o SAAE solicitando a ampliação da rede dos bairros frios;

 

Facultada a palavra

Ricardo Praxedes

Repudia a mesa diretora pela omissão, pois já passam de 40 dias que solicitou através de requerimento aprovado na casa informações acerca de contratos e desapropriação;

Diz que vai protocolar denuncia no MP;

Oficio para a Secretaria de administração solicitando informação acerca do FGTS do município do processo que teve inicio em 2016;

 

Término da sessão: 09h30min.


sábado, 24 de abril de 2021

UNIÃO: ORGULHO E VERGONHA NO ÚLTIMO MEIO SÉCULO.

HISTÓRIAS DA POLITICA PALMARINA
União precisa ser, também, a terra da Josefa, do Cícero, do Antonio, do João, do Marcelo...



Gilson Monteiro, Jornalista Palmarino

  • Nos últimos 50 anos passaram pela prefeitura de União dos Palmares 15 prefeitos. Meio século de gestores de todas as ideologias e partidos que deixaram um saldo minguado de realizações. Tão minguado que, em pleno século 21, candidatos ainda usam adjetivos como “mudança” e “avanço” em seu marketing de campanha.
    Obviamente que correligionários, puxa-sacos e apaixonados ideológicos pelas sopinhas de letras partidárias vão levantar a voz e dizer que fulano fez a praça tal, beltrano calçou um bairro, e até mesmo dizendo que minha visão é pessimista. Mas vamos por os últimos 50 anos de administração de União na mesa e verificar: O que realmente foi feito nesse meio século?
    Há meio século as precárias ambulâncias carregam doentes para a capital, seja para curar um câncer ou uma infecção intestinal.                                                                                
  • Há meio século União convive com doenças como esquistossomose, verminoses e tuberculose. Mazelas do século 17, quando a cidade foi fundada. Ou seja, nem nas doenças a cidade se “modernizou”.
    Há meio século a Santa Fé vive num estado de miséria vergonhoso, inaceitável e constrangedor para qualquer cidadão que tenha direito às três refeições diárias. Gente tratada feito bicho, cuja única diferença de um animal está no fato de que portam título de eleitor para sustentar a elite. Nada mais.
    Há meio século os grupos culturais sobrevivem sem apoio, mendigando um troco para dar uma contribuição crucial com o crescimento social do município, mas que os gestores ignoram para não modificar sua política do pouco pão e circo de péssima qualidade.                                                                                                                                     
  • Há meio século estudantes se espremem em ônibus para vir estudar em Maceió, com a agravante que nesta última década precisam pagar por isso.
    Há meio século os palmarinos vivem ou do trabalho no setor sucroalcooleiro ou do pequeno comércio, que apenas inchou, fazendo milhares de pais e mães de família ratearem meia dúzia de fregueses sem perspectiva de crescimento.
    Há meio século que os palmarinos são “empregados” por um comércio desumano, que rasga as leis trabalhistas, transformando o trabalhador numa máquina automatizada, sem folgas ou tempo para qualificação.
    Há meio séculos pré-adolescentes vivem de “carregos” na feira-livre como forma de sobreviver dignamente, perdendo a infância e juventude, e o pior, deixando a escola em segundo plano.
    Há meio século o Roberto Correia de Araújo/Vaquejada incham, se transformando, sob os olhos dos gestores, num verdadeiro mostro urbano tomado pela miséria e pela violência.

    Essas respostas são minhas, mas podem ser colocadas na boca de qualquer morador que testemunhou os 50 anos da cidade. Acho difícil discordar que mudança e avanço não estão no dicionário dos gestores de União há décadas. Por isso acho constrangedor, irônico, um verdadeiro acinte, seja qual for o grupo político falar em “mudança”, “avanço” ou qualquer outro adjetivo hipócrita do tipo.
    União não cresceu. Inchou. E “progredimos” sim, mas no pior sentido da palavra, pois já temos drogas, fome e prostituição. Nossa política nojenta de surrupiar os cofres do município inconsequente e desumanamente conseguiu “importar” o que há de pior nos grandes centros urbanos.                                                                                                                                                                                                                                         
    Chega a ser chocante constatarmos que esse cenário pertence a um município que recebeu do governo federal, via transferência de recursos, R$ 262 milhões, arredondando-se para menos, somente nos últimos 5 anos. (Dados do Portal Transparência)                                                                                                                            
  • União é, e tenho orgulho disso, a terra de Jorge de Lima, Maria Mariá e Zumbi. Mas a luta de Zumbi na Serra da Barriga, um marco nacional, precisa fazer parte do nosso passado, e não permanecer se repetindo no presente das periferias miseráveis de União. A Nega Fulô precisa se transformar de vez em poesia, e não permanecer nas cozinhas nada literárias da atual elite que ainda não se deu conta da Lei Áurea. E para isso, é preciso termos pelo menos, um naco da inteligência e caráter que teve nossa imortal Maria Mariá.                                                                                                                                 
    União precisa ser, também, a terra da Josefa, do Cícero, do Antonio, do João, do Marcelo, do Sebastião, da Madalena e de tantos outros que estão escrevendo o futuro de uma terra que ainda não conheceu, de fato, a liberdade.

    P.S.: Para os desavisados, sou palmarino, mas voto em Maceió. Não sou nem azul nem do encarnado!  Gilson Monteiro.
               Artigo publicado em  setembro de 2012


E agora José?

Foi assim...


sexta-feira, 23 de abril de 2021

128 anos do nascimento de Jorge de Lima

 

Há 128 anos, no dia 23 de abril de 1893, nascia o uniaoense Jorge Matheus de Lima, conhecido em todo o mundo como Jorge de Lima.

Para muitos o palmarino mais ilustre, para outros uma "famoso desconhecido". Não é difícil encontrar um palmarino que fale besteiras do tipo: "Ele não gostava daqui" ou "Ele virava a cara quando passava por aqui". Quanta bobagem e mentira, as cartas e textos de Jorge de Lima publicados em jornais da época demonstram um imenso amor pelo local onde viveu a infância. Talvez, os palmarinos não percebam que a descontruçào dos bons exemplos se tornou uma forma da "elite política e econômica" local menosprezar quem de fato deveria ser exaltado como exemplo a ser seguido.

Em 2021 o sobrado em que nasceu e viveu se encontra em reformas, descaracterizado em 2010 por ignorantes culturais, é a única lembrança de uma época em que um gigante da literatura mundial esteve por aqui.

Aos incultos que acusam Jorge de Lima de mau palmarino, sugiro a leitura dos poemas "Serra da Barriga" e "G.W.B.R.", textos de extrema sensibilidade e percepção que apenas um apaixonado por um lugar e um povo poderia escrever.

A fotografia que ilustra a postagem está no livro "Vida e Obra de Jorge de Lima", biografia escrita por Carlos Povina Cavalcanti.

Fonte: registroslegislativos,  Bruno Monteiro,

 acessado em 23/04/21

#registroslegislativos 

#uniaodospalmares 

#jorgedelima128anos 

sábado, 17 de abril de 2021

Inaugurado, nunca utilizado e destruído...

 Ou seja, dinheiro público jogado Fora!



Posto de informação: construído e destruído na administração de Kil de Freitas

No seu lugar foi erguida uma estátua de Zumbi. Boa Iniciativa, mas não pode ser esquecido que a "casinha" foi construída com recursos públicos.

O Posto de Informação só funcionou na sua inauguração, de lá para cá, nada. Digo isso não fazendo uma crítica, simplesmente pela sua derrubada, mas para que fique o alerta que outros, "Elefantes Brancos" possam ser construídos, como outros que já foram construídos e destruídos, em nossa cidade e ficou por isso mesmo.

Dessa forma o Posto de Informações entra para a História de União na galeria daquilo que nunca funcionou a exemplo de: Ponte (passarela) no rio Cana Brava que serviria para ser à entrada da cidade, Feira do Gado, Piscina Semiolímpica, Santa Fé...

Espero que a estátua fique realmente boa, interessante e, principalmente, visível, e não acabe às margens da BR 104 e entrada da cidade passando despercebida, seja pelo seu tamanho, seja pela falta de iluminação.

Fonte: acorda União, publicado em dezembro de 2011
Foto e texto: Sergio Rogério.

terça-feira, 13 de abril de 2021

Sessão Ordinária da Câmara Municipal de União dos Palmares Sessão 12/2021

 



12 de abril de 2021

Início: 19h30minh

Presidida por Almir Belarmino

Vereadores presentes:

  • Thor Vicente (PTB)
  • Givanildo Gomes da Silva - Nenzinha (PSL)
  • Dé Moto Taxi (PSD)
  • Neto Cavalcanti (PSD)
  • Manoel Messias (PSD)
  • Marcos Filho (CIDADANIA)
  • Jailson Vicente (MDB)
  • Leonardo

·         Macarrão da Barra (PSL)

  • Almir MDB
  • Wellington Ferreira (PROS)

 

Vereadores Faltosos:

  • Sandro Jorge (MDB)
  • Milton do Complementar (PROS)

·         Ricardo PTB

 

Justificativa das faltas: sem

Desconto por falta: 2.700,00

Desconto por falta acumulado: 20.700,00

 

Ata: aprovada sem discussão

Expediente da semana:  

Ofício do Conselho Municipal de Saúde informando acerca dos repasses dos recursos do covid, os mesmos estão sendo analisados pela comissão de finanças do CMS  e será apresentado na reunião do conselho;

OFICIO DA SEMED informando acerca da imunização dos professores;

OFICIO DA SEMED solicitando presença dos vereadores à posse do conselho municipal de educação no dia 13 abril e Informa os vereadores que compõe o conselho:

Paulo Neto, Marcos Filho, Manoel Messias, Manoel da silva, Gilvanildo Gomes, Leonardo, Weligton e Almir;

Ofício da Comissão de Legislação e Justiça encaminhando para o procurador da Câmara o projeto de Ricardo que visa isentar as taxas de licenças, IPTU e outros;

Projeto de Lei do Poder Executivo que dispões sobre a reestruturação do conselho municipal de acompanhamento e contorno social e do Fundeb;

Projeto de Lei de Manoel Balbino que reconhecem as igrejas e templos como atividades essenciais em tempo de pandemia, sendo vetado o fechamento;

Ordem do dia: Nada Planejado

 

Facultada a palavra

Marcos Filho

Repudiou a fala da Secretária de Saúde quando questionou a mesma acerca do repasse de 3,5milhões para o HSVP. A mesma não respondeu e pediu que procurasse o hospital; (01h02min: 40)

Requerimento para o HSVP solicitando informação e prestação de contas dos recursos;

Manoel Messias

Requerimento para Claudionor, diretor do meio ambiente solicitando a arborização da Praça da COHAB nova;

 

Paulo Neto

Requerimento para o HSVP solicitando informação acerca dos equipamentos do hospital de campanha, dos respiradores e outros e se o mesmo não tem condições de abrir faça uma permuta com a secretaria de saúde ou HRM;

Requerimento para LUZUP solicitando iluminação para a Praça do Jaguaribe

Requerimento para a secretaria de agricultura, Sandro Couto, solicitando a construção do acesso da fabrica do iogurte palmarino no sitio Tatu;

Término da sessão: 09h30min.


domingo, 11 de abril de 2021

Eleições em União: do Ilariê ao Enfica

 Histórias da política palmarina

Foto de arquivo Iran Menezes

Em 1988 o programa Xou da Xuxa bombava na TV brasileira. Acertadamente, marqueteiros políticos aproveitaram o “xuxesso” e transformaram o hino da Rainha dos Baixinhos em Jingle político do candidato Iran Menezes, que, além do hino, contava também com apoio do deputado estadual Afrânio Vergetti.


Ganhando vida própria, não sei por que o “magrinho de ouro” desagradou o deputado, aí, para sua sucessão, houve uma junção. Manoel Gomes de Barros lançava José Praxedes, ex-assessor, e para poder derrubar o prefeito das praças e o mais popular da zona rural tinha que haver uma junção poderosa, então os Vergetti indicam Jorge Vieira para vice. Só assim poderiam derrotar o candidato apoiado pela prefeitura. Após as eleições de 92 aconteceu um racha naquela “união”; então, em 96, Afrânio Vergetti resolve voltar à prefeitura concorrendo contra José Pedrosa e Iran, agora apoiados por Mano, em uma eleição complicada e bastante violenta.

Em 2000, Mano apoia a reeleição de Vergetti em “gratidão” ao apoio dado para ele na eleição para governador em 98. No meio do mandato Mano volta a apoiar José Predrosa, que da noite para o dia, em 2002, recebe de bandeja a prefeitura. De lá para cá Mano vem apoiando, ou engolindo, os apoiados pela administração municipal, foi assim com Kil, imposto por João Lyra, para vice de Pedrosa, foi assim novamente com Kil imposto por Predrosa para ser prefeito, pois Pedrosa sabia que ele (Kil) não mais se reelegeria e assim Predrosa voltava com todo gás à prefeitura via eleições 2012, mas nem tudo saiu com se esperava.


Faço essa pequena introdução para dizer que agora em 2012 temos eleições para prefeito, vice e vereadores e a junção Mano/Vergetti estará, provavelmente, de volta. Vamos refletir: quem já viu em União alguém de oposição a Mano ou a quem ele apoie dar entrevista aberta na rádio AG e ainda mais para falar sobre eleições e pior tendo o próprio Mano com adversário? Foi o que aconteceu dias atrás com o pré-candidato da família Vergetti.
Desculpem-me os candidatos, mas o que parece é que no momento do registro das candidaturas querem dar força dizendo que houve uma "união", pois, assim, dará bem mais crédito e grandeza para a chapa majoritária. Assim farão o velho discurso “resolvemos nos unir para o bem de União”. Está junção, para mim, já está bem definida. Será que ao menos a música de campanha será enfica? Acho que sim, pois essas junções só colocaram União cada vez mais enficado no buraco do coronelismo, do mandatarismo, do autoritarismo e tantas outras mazelas deixadas por quem sempre se uniu, na verdade, em busca de seus interesses particulares.

 

 

Sérgio  Rogério
ACORDA UNIÃO

http://acordauniao.blogspot.com/2012/05/eleicoes-em-uniao-do-ilarie-ao-enfica.html postado em 08 de maio de 2012

Leia também:

UNIÃO: ORGULHO E VERGONHA NO ÚLTIMO MEIO SÉCULO.