Páginas

sábado, 24 de setembro de 2022

DE DOMINGO AGORA A OITO É DIA DE ELEIÇÃO



De domingo agora a oito
É dia de eleição
É dia do pleiteante
Do fundo do coração
Perguntar: o que desejas?
A quem tem de louça um caco
De terra só tem nas unhas
E mora de inquilino
Numa casa de botão

De domingo agora a oito
É dia "arreganha-cofre"
É de ajudar os que sofrem
É dia do estende a mão
E se agarrar com farrapos
De mastigar vinte sapos
E não ter indigestão
É dia de expor na fala
Que bem conhece o riscado
Ninguém come mais insosso
Ninguém bebe mais salgado


De domingo agora a oito
Não relampeja e nem chove
É o dia que nos comove
É o grande dia "D"
Agora, o dia "fuD"
Vai ser de domingo à nove

Composição: Jessier Quirino

sábado, 10 de setembro de 2022

Livro "Registros Legislativos: Subsídios à História de União dos Palmares (1948-2022)" terá lançamento em 08 de outubro. Organizado por Bruno César Monteiro.

 



O Livro "Registros Legislativos: Subsídios à História de União dos Palmares (1948-2022)" será lançado sábado, dia 08 de outubro ás 9:30h no auditório da Prefeitura de União dos Palmares.    O preço do exemplar custará apenas noventa reais, a fim de cobrir os custos da edição, pois o mesmo não tem fins lucrativos, mas de informação. A primeira tiragem limitada, portanto garanta já o seu.

O livro é uma consolidação do resultado de anos de pesquisas em arquivos físicos e virtuais, com estudo minucioso das fontes documentais originais que permitiram a elaboração de uma obra com dados inéditos e informações relevantes sobre a evolução administrativa, legislativa, histórica e geográfica de União dos Palmares.

 

Em 494 páginas o livro possui:

* Contextualização histórica das legislações de criação da vila, elevação à cidade e da mudança dos nomes;

* Quadro histórico das eleições e mandatos dos Prefeitos de União dos Palmares no período 1948 a 2022;

* Quadro histórico das eleições e composições da Câmara de Vereadores de União dos Palmares no período 1948 a 2022;

* Análise da Lei Orgânica do Município e respectivas Emendas;

* Ementário com comentários aos Projetos de Leis Municipais no período 1948 a 1962, Leis Municipais no período 1962 a 2022, Decretos no período de 1963 a 1965, Resoluções no período 1962 a 1966, e Pareceres no período 1962 a 1963.

Siga no instagram: https://www.instagram.com/p/CiP1X-7uSl4/?igshid=MDJmNzVkMjY=

 


sábado, 27 de agosto de 2022

Virgulino Lampião, Deputado Federá

Jessier Quirino



Seus Dotôres Deputado
falo sem tutubiá
pra mostrá que nós matuto
sabe se pronunciá
dizê que ta um presídio
com dó e matuticídio
a vida nesse lugá

O Brasí surgiu de nós
nós tudo que vem da massa
deram um nó no mêi de nós
que nós desse nó não passa
e de quatro em quatro ano
vem vocês com o veio plano
desata o nó e se abraça

Tamo chêi dessa bostice
de promessa e eleição
dos que vem de vem em quanto
se rindo, estendeno a mão
candidatos a caloteiros
aprendiz de trapaceiro
corruto, falso e ladrão.

sábado, 20 de agosto de 2022

VERGONHA NA CARA

Por Candice Almeida



Abate, chateia, entristece e cansa… A cada eleição geral o saldo é debitado na conta do Nordeste, como se aqui estivessem as pessoas mais perversas de todo o país. Como é possível tanta insensibilidade, tanto ódio e tanta hipocrisia?

Não quero generalizar, claro. Mas é difícil manter-se inatingível diante de tanto veneno destilado direta ou indiretamente. Falo sim de todas as manifestações nas redes sociais, mas também falo de alagoanos que encontro e que acham graça em repetir “tem chovido tanto para não faltar capim em Alagoas”.

Ora, como esperar respeito de outros estados, se nem o próprio alagoano se respeita?

É verdade que ostentamos péssimos índices na educação, que muitos alagoanos são analfabetos e não foram ensinados a pensar na coletividade, e mesmo que tivessem sido não deixariam de pensar na própria barriga. Muitos alagoanos, em especial os que não foram educados adequadamente, não podem ser cobrados por suas escolhas erradas. Devemos cobrar daqueles que pensam que tiveram uma educação adequada, mas fazem suas escolhas pautadas em favores e benefícios pessoais, seja dele mesmo ou de algum conhecido.

Entendo que estando em Maceió muitos não compreendam a realidade do povo pobre que vive longe da capital e sua necessidade por tudo, desde água e comida, até saúde e educação, faltando muitas vezes até a própria dignidade. E por entender o sofrimento de muita gente, que a sociedade só lembra que existe quando faz suas escolhas pensando na própria fome, as “escolhas erradas”, é que jamais poderei conceber a generalização de chamar o alagoano de burro.

Não, ele não é burro e nem se alimenta de capim. Antes fosse, assim não venderia “seu valor” – o voto – nas eleições. Burros são os outros, os que têm boas opções, os que se candidatam, os que conseguem mandato, a população politicamente esclarecida, estes sim, estes assumem-se como asnos. Se fossem tão espertos cumpririam seu papel.

Os que têm boas opções não votariam em palhaços e subcelebridades para protestar contra o sistema que os rege, oportunizando a políticos corruptos conseguirem o “coeficiente eleitoral” necessário para serem eleitos; o político agiria com hombridade, respeito e dedicação, produziria leis que amparassem os ignorantes; a população esclarecida dedicar-se-ia a fiscalizar a atuação de seus representantes, pensando mais no coletivo e menos em si próprio.

Se cada um fizesse a sua parte, não haveria gente para ser chamada de burra!

Mas é muito conveniente por a culpa nos outros, no nordestino, no alagoano. Quando vamos parar de por a culpa nos outros e lutar para que todos sejam iguais, para que todos tenham suas necessidades básicas à saúde, à educação e ao trabalho atendidas, para que pensem por si, para que decidam sem o peso da fome e da miséria?

Neste dia, caro leitor, as escolhas de todos poderão ser julgadas com justiça e sem preconceito.

Ao brasileiro e alagoano preconceituoso, desejo vergonha na cara, para se respeitar e se fazer respeitado!!!

domingo, 24 de julho de 2022

SERRA DA BARRIGA ( Jorge de Lima)

 

Serra da Barriga.                                 Foto: NM.Com
Serra da Barriga!
Barriga de negra-mina!
As outras montanhas se cobrem de neve,
de noiva, de nuvem, de verde!
E tu, de Loanda, de panos-da-costa,
de argolas, de contas, de quilombos!

 

Serra da Barriga!
Te vejo da casa em que nasci.
Que medo danado de negro fujão!

 

Serra da Barriga, buchuda, redonda,
de jeito de mama, de anca, de ventre de negra!
Mundaú te lambeu! Mundaú te lambeu!
Cadê teus bumbuns, teus sambas, teus jongos?
Serra da Barriga,
Serra da Barriga, as tuas noites de mandinga,
cheirando a maconha, cheirando a liamba?
Os teus meio-dias: tibum nos peraus!
Tibum nas lagoas!

 

Pixains que saem secos, cobrindo
sovacos de sucupira,
barrigas de baraúna!
Mundaú te lambeu! Mundaú te lambeu!
De noite: tantãs, curros-curros
e bumbas, batuques e baques!
E bumbas!
E cucas: ô ô!
E bantos: ê ê
Aqui não há cangas, nem troncos, nem banzos!
Aqui é Zumbi!
Barriga da África! Serra da minha terra!
Te vejo bulindo, mexendo, gozando Zumbi!
Depois, minha serra, tu desabando, caindo,
levando nos braços Zumbi!

 



sábado, 9 de julho de 2022

Por baixo da saia


Por Rico Ourives


Um dia me disseram que uma saia deve ser curta o suficiente afim de mostrar coisas para despertar desejo, longa o suficiente para cobrir coisas e despertar a imaginação daqueles que vêem.
A mulher que usa a mini saia deve saber caminhar, sentar e se portar com este tipo de vestimenta, não é para qualquer uma, pois entre a sensualidade e vulgaridade existe uma linha muito tenra, a mulher deve despertar o desejo de "quero mais"!

Quando vejo uma mulher com uma mini saia, algumas passam desapercebido, porém, outras despertam um desejo enorme de ver e tocar, a curiosidade natural do ser humano, de saber como é, e ainda por se tratar de algo de difícil probabilidade, imaginamos que ali está o paraíso!
Assim como a mini saia devemos em nosso trabalho deixar um gostinho de quero mais, despertar curiosidade, interesse em nossos clientes, não vendemos apenas produtos ou serviços, um vendedor de verdade vende muito mais, ele negocia qualidade de vida, sonhos, expectativas.

Você tem o que o cliente busca, basta ter a medida correta, nem mais e nem menos, se for de menos tiro o fator curiosidade, se for demais perde-se o encanto, um profissional de vendas deve ter a medida exata.
Talvez você possa estar pensando que não trabalha com vendas, pois é um dentista, advogado, auxiliar administrativo, e não tem nada a ver com vendas, correto?
Claro que não!
Todos vendem o tempo todo, vendemos nossa imagem, credibilidade, um cabeleireiro por exemplo, presta o serviço e vende produtos junto, com um creme, hidratação, sua imagem fará diferença no dia a dia.
Numa relação de namoro, tem sempre que deixar um gostinho de querer mais, ou seja, uma descoberta diária, quer fazer alguém se apaixonar por você?

Então dê a outra pessoa aquilo que ela deseja em doses pequenas, pois se tiver em grandes doses, poderá fazê-la enjoar rapidamente.
Faça seu cliente, namorado, amigo...fornecedor ou seja lá o que for, desejar o paraíso, faça ele desvendar os seus segredos passo a passo, estimule a relação ser contínua.

Quando estamos de mal com a vida usamos saia até os pés, escondemos as silhuetas  e ainda, a calcinha é feia, grande, e furada, as pernas peludas e o mau cheiro evidente as narinas menos sensíveis.
A sensualidade ainda está com as combinações de roupas, cores, modelos, calçado, cabelo, sorriso, maquiagem, perfume, forma de caminhar e o mais fatal de todos, o olhar!

Você será um arraso onde for, se for equilibrado em suas emoções, ter um ótimo marketing pessoal, caminhe com integridade (estes serão seus calçados), seja motivado e sorridente, um  profissional feliz atraí muitos novos negócios, seja carismático e cative atenção do cliente, conheça muito bem o que se faz, e o mais fatal de  todos, que seu olhar todos vejam que você tem objetivos claros e definidos, pronto!
Está aí a receita para ser um sucesso onde for!