Páginas

terça-feira, 13 de setembro de 2016

“Escravidão Moderna” Após as férias de julho (sem remuneração), contratados continuam sem receber salários.

Os professores contratados se encontram há 73 dias sem dinheiro no bolso, pagando para trabalhar.



A falta de Credibilidade do governo
A insegurança e incerteza herdada mediante o “troca troca” de prefeitos, gerou um grande prejuízo à comunidade, sobretudo aos servidores que trabalharam e não receberam seus salários.  Após o afastamento definitivo o prefeito Beto Baia, esperava-se que esse mal teria um fim, contudo a situação dos servidores é cada dia pior.


Na Educação
Sem transparência na aplicação dos recursos dos FUNDEB, os professores efetivos tiveram apenas 4% de reajuste e a situação é pior para os contratados, pois continuam pagando para trabalhar, recebem menos de um salário mínimo, sem direito a férias, décimo terceiro salário e se adoecer e tiver que faltar ao trabalho, tem o salario descontado.  “Já estamos no dia 13 de setembro e não recebemos ainda, devo 20,00 de xerox, já estou como vergonha, pois não tenho dinheiro para pagar”, desabafou uma servidora que pediu para preservar o seu nome temendo retaliação do governo.


O Poder Legislativo
O Poder Legislativo não se pronuncia, o presidente da comissão de educação mal sabe assinar o nome, muito menos cobrar do governo, pois a maioria usufrui de regalias na administração para dá sustentação ao governo. Varias denuncias chegaram à câmara, recentemente foram divulgadas algumas folhas de pagamentos onde se percebe o nome de várias pessoas recebendo sem trabalhar. Segundo o vereador Paulo Cavalcanti, Bruno Praxedes já havia alertado sobre os fantasmas encontrados quando assumiu a SEMED, mas aparentemente nada fez.


Portanto, está na hora dos candidatos acabarem com as brigas pessoais e apontarem propostas que viabilizem esse problema, a começar, dando um fim nos servidores fantasmas, marajás e enxuga gelo, dessa forma sobrará recursos para  valorizar os profissionais da educação e para realização do concurso público, pois os contratados não podem continuar sendo tratado como lixo descartável. A categoria merece respeito.  


Nota da redação: Segundo informações não oficiais, o pagamento está previsto para essa quarta feira, 14, o problema estaria na gerência da caixa econômica. Tentamos contato com o secretário de educação, mas o telefone estava desligado, o gerente da caixa não se encontrava nem retornou a ligação até o fechamento da matéria.

Professor Nivaldo Marinho

Nenhum comentário: