Páginas

sábado, 22 de novembro de 2014

Minha Amada União dos Palmares

Por Manoel Simeão


Todas as vezes que retorno de viagem, chegando as proximidades do antigo povoado Caípe e vejo União dos Palmares, ao longe, digo em meu pensamento: "AMO ESSA TERRA, SOU APAIXONADO POR UNIÃO DOS PALMARES". Essa linda cidade rodeada de serras, morros, riachos, do lendário rio mundaú, de lindas paisagens, rica em cultura, histórias, de uma bela gente trabalhadora e honesta. Terra de uma festa centenária, grande evento da região que é a festa da nossa Padroeira Santa Maria Madalena, terra que viverá para sempre em meu coração, em minha vida, a minha bela União dos Palmares.

E nessa declaração de amor a minha cidade que amo tanto, passo a recordar que neste torrão já existiu no passado e que na inocência e simplicidade da época, alegrava, e ajudava a engrandecer o nosso lugar; Falo do Parque Infantil Antenor Uchôa que aos feriados e domingos era aberto a todo criançada. Eu e as demais crianças palmarinas íamos lá andar nos brinquedos, chupar picolés, comer pipocas e degustar peito de veia (como era chamado flau antigamente), eu e minhas irmãs passávamos toda tarde lá era muito bom, bons tempos aqueles. Na época tinha também a Creche Municipal (ficava vizinho ao parque) creche aonde as mães deixavam as crianças.

Existia ainda a fábrica de doce de goiabada que se localizava na Rua Demócrito Gracindo (antiga Rua da Ponte), doce que estava presente em todas as festas de aniversário de nossa cidade. Relembro ainda a fabrica de correntes que dava empregos a dezenas de pessoas e que ao meio dia e à tardinha ouvia em minha fase de menino, a sirene da fabrica apitar avisando o final de expediente, a hora de largar.

Quem também não se lembra dos times do Zumbi e Bangu, dos jogos estudantis palmarinos - JEPS que incendiava a eterna disputa esportiva do Colégio Santa Maria X Ginásio Mário Gomes, também os belos desfile s do dia 13 de outubro, a Capelinha de São Vicente de Paulo aonde eu assistia as missas as sextas às 6 horas da manhã celebradas pelos Padres Emílio e Donald e além de todas essas coisas tinha todo o encanto, beleza, simplicidade de uma cidade pacata sem violência que amava participar das festas de nossa padroeira, a nossa inocente e amada União dos Palmares.

Assim era a minha União dos Palmares, terra que amo e que acho linda, e olhe que conheço boa parte das cidades de Alagoas e União é uma das mais belas, uma das quatro mais belas, só faltam cuidados com nossa querida terra. União de suas praças, árvores, de sua Igreja Matriz, de sua Escola Rocha Cavalcanti em forma de Fórum romano aonde minha mãe estudou, União de sua história que encanta o mundo, de seus escritores que exaltam a beleza de sua gente e dessa terra, União da Prof.ª Salomé da Rocha Barros, do Prof. José Correia Viana, dos poetas Povina Cavalcante e Jorge de Lima, terra dos dias de janeiro em que temos a procissão centenária do Mastro e das noites da procissão luminosa da bandeira, das noites de novenas, dos shows e dos encontros dos palmarinos ausentes com seus familiares na matriz durante as novenas, noites em que encontro vez ou outra durante a festa a minha doce e bela musa.


Essa é a minha amada UNIÃO DOS PALMARES, que amo, que sou fascinado, que minhas palavras são insuficientes para expressar meu amor por essa terra, União amo você!!!!!!!!!

Por Manoel Simeão Moreira
Professor Licenciado em Geografia 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POR MEDIDA DE SEGURANÇA, NÃO ACEITAMOS COMETÁRIOS ANÔNIMOS.