Páginas

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Crise Hídrica provoca discussão sobre a importância do Rio Mundaú “quase Cana Brava” em União dos Palmares.

Quando faltar água nas torneiras as questões ambientais deverão ser levadas a sério.

Perenidade ameaçada

O aquecimento global, efeitos estufa, desmatamento, queimadas, as variações climáticas [...], são assuntos do cotidiano nas mídias impressas, virtuais e faladas, mas não percebemos êxito quando se refere à absolvição e conscientização da população.

União dos Palmares tem o Rio Mundaú como manancial responsável por 100% do abastecimento de água do município. Contudo, a sua perenidade e grande vasão está ameaçada, a população corre um sério risco de ficar sem água tratada nas torneiras, devido a vários fatores, dentre eles, os climáticos devido a pouca precipitação de chuvas e a ausência de políticas e ações preventivas do governo e da comunidade.

O Rio Mundaú está no volume mínimo e se não houver os cuidados necessários, o mataremos a exemplo do Cana Brava, hoje fonte receptora de dejetos.

A ameaça de falta de água tem deixado a cidade pavorosa, já vivemos algo parecido quando reformação a ETA, contudo agora se trata da fonte de água, o Rio Mundaú. Durante décadas esse assunto vem sendo tratado, mas nunca recebeu o devido valor. Até devolução de verbas federais os gestores se deram ao luxo de devolver por não ter capacidade de gerir os recursos.

Além da estiagem, existem outros fatores que podem amenizar o problema, tipo o combate ao uso indevido (gatos), irrigação, desvios de água, preservação das fontes do rio e afluentes, além do desperdício da água tratada que chega a 30%.

Portanto, talvez agora quando faltar água nas torneiras, o governo e a população entenda que educação ambiental é uma necessidade para a nossa sobrevivência, pois se está difícil agora, imagine o futuro de nossos filhos. Pense Nisso.



Nenhum comentário: