Páginas

terça-feira, 12 de junho de 2018

61ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal de União dos Palmares


Início: 19:40h
Presidida por Jailson Vicente
Assessoria: Lu Andrade
ATA aprovada sem discussão;

Expediente da semana
Convite para audiência pública, quinta feira, a fim de discutir a LDO 2019;
Emenda do projeto de lei que reajusta o salário do servidor público, (o professor terá um reajuste de 5%);
Projeto de lei que reajusta o salário do professor;
Projeto de lei que visa a doação de terreno no bairro Sagrada Família para a Associação dos taxistas, visando a construção de ponto de taxi;
Projeto de lei que visa a doação de terreno no bairro Newton Pereira para a Associação dos taxistas, visando a construção de ponto de taxi;

Ordem do dia:
Projeto de lei que dá título de cidadã palmarina a Professora Lídia Campos;
Projeto de lei que dá título de cidadã palmarina a Dra. lenalra Bezerra;
Ofício de Cícero Aureliano solicitando do prefeito a doação de um terreno no Newton Pereira a fim de construir uma base comunitária para a guarda municipal;  

Facultada a palavra
Cicero Aureliano
Parabeniza o prefeito Kil por atender seu pedido ao iluminar a Rua da Ponte;
Disse que foi procurado por comerciantes que estão indignados por não ter sido contemplados com barracas para vender fogos;

Ailton Tenório
Ofício de pesar a família de José de Enoque;

Maria de Tutu
Fala da falta de ambulâncias no município, contudo cobra do governador que prometeu doar três unidades; 
Diz que é importante "se unir" para cobrar do prefeito, pois ultimamente só ela tem cobrado;

Elton Cajú
Repudia a falta de compromisso do gestor com a saúde do povo palmarino, sobretudo dos mais pobres: Falta de medicamentos, ambulâncias, médicos...
Cobra a realização de concurso público;
Denuncia a falta de iluminação, segurança, merenda na zona rural...
Repudia os colegas por não protocolar no MP suas denúncias contra o prefeito, Só eu Ricardo temos feito isso, Tita já fez, mas depois de 2017, não faz mais". 


Cícero Aureliano
Defende o governo e diz que as licitações de ambulâncias estão sendo feitas, e que em breve comprará as ambulâncias;
Disse que está faltando remédio, mas não é de hoje...
Diz que trabalho da secretaria de saúde é aprovado pela população;

Ricardo Praxedes
Informa que recebeu denuncia de supostas irregularidades na compra de 82 mil reais em pneus à empresa "Samara Almeida de Souza",  sediada em  São José da Laje;


Paulo Neto
Repudia as pessoas que dizem que os vereadores agora estão calados;
Diz que não procura o MP porque faz o seu papel fiscalizador na câmara;
Ofício parabenizando a secretaria pelo projeto saúde na praça, com cópia para o prefeito;
  
Término da sessão: 22:30h



quarta-feira, 6 de junho de 2018

Portal da Transparência: União recebe recursos para pavimentação de ruas

Detalhes do Convênio
Número do Convênio SIAFI:
801369 (Redireciona para o Portal Convênios – SICONV)
Situação:
Em Execução
Nº Original:
21553/2014
Objeto do Convênio:
Pavimentacao e Drenagem de Diversas Ruas do Municipio.
Orgão Superior:
MINISTERIO DAS CIDADES
Concedente:
CAIXA ECONOMICA FEDERAL - PROGRAMAS SOCIAIS
Convenente:
MUNICIPIO DE UNIAO DOS PALMARES
Valor Convênio:
1.976.600,00
Valor Liberado*:
392.204,88
Publicação:
24/09/2014
Início da Vigência:
15/09/2014
Fim da Vigência:
30/05/2019
Valor Contrapartida:
4.400,00
Data Última Liberação:
01/06/2018
Valor Última Liberação:
155.210,54



* Para saber cada uma das liberações, acesse a consulta – “Despesas Informações Mensais – Transferências de Recursos” - faça a consulta por exercício e selecione o Estado/Município desejado.


Relação de Documentos de Liberação
Selecione o(a) "Código do Documento" para obter o detalhamento do valor
Caso queira outra classificação, clique no título da coluna correspondente
11/11/2016
236.994,34
01/06/2018
155.210,54


terça-feira, 5 de junho de 2018

O único título




A narrativa de Lucas, demasiadamente conhecida, é impressionante. O filho, que pedira antecipação da herança, dissipou tudo, ficou sem nada, resolveu voltar e o pai deu um banquete por esse regresso, enfrentando a cólera do irmão mais velho, que havia ficado todo o tempo com ele e nunca tivera festa igual.

Pensemos no filho pródigo não no final de sua desventura, quando voltou, e foi abraçado pelo pai, apesar das censuras do irmão. Pensemos nele enquanto estava longe. Quando usou a herança e a dissipou entre as vaidades do mundo e caiu na miséria, na tristeza e na solidão. Como se sentia ele, no íntimo, quando estava no fundo do poço? O que pensava, como a si mesmo se via?

Lá está ele, longe de tudo, longe de casa, longe da segurança e da fartura da família, longe do aconchego. O que ele tem? Não tem mais nada, gastou tudo, estragou, dissipou, desperdiçou. Só lhe restam lembranças. De fato, ele só tem a consciência de que é filho do pai. É seu único bem, seu único título, seu único valor. Não tem boas ações a exibir, não tem vitórias, êxitos, glórias a mostrar. Não tem mais patrimônio, não tem bens, não tem nada. A única coisa que tem é a certeza de que é filho. Pode ser que o pai não o receba, não o reconheça, não reconstitua sua posição – e ele, de fato, não merece. E, sinceramente, nem imagina isso, não sonha com isso. Quer, regressando, ficar apenas como empregado na casa do pai, e isso não estará errado – está na linha do que ele veio aprontando, e ele está conformado com esse destino. Ao decidir voltar, não pode ter certeza de nada, nenhuma esperança. Não pode esperar ser bem acolhido, não se pode imaginar de novo no velho convívio. Apenas volta – e volta mais do que humilde, volta humilhado. Volta envergonhado, volta despedaçado. Muito mais do que arrependido, volta arrasado, destroçado, aniquilado. Mas volta porque é filho, embora confesse sinceramente saber que “já não sou digno de ser chamado teu filho”; dentro de si mesmo, está reconhecendo: “teu filho que não merece nada, não merece teu perdão, nem tua generosidade, nem tua acolhida, nem sequer teu nome”. Pede para ser tratado apenas como um empregado do pai, um dos mercenários dele.

No fundo, o único título que ele tem é o de ser filho daquele pai. É por isto que pede para ficar como empregado, não por conta de sua competência ou de suas habilidades. É por conta de sua condição de filho que pede o emprego. No fim de contas, é assim que se apresenta, com este único título. E o que não diz, mas está subentendido, é que, como filho, ama o pai.

E o pai – contra talvez a justiça, contra talvez a boa ordem, contra talvez a correta retribuição das coisas (como o filho fiel, o mais velho, dirá, reclamando) – o abraça, não apenas porque é generoso mas porque está sumamente feliz. E os dois intensamente choram. Choram de dor e de felicidade.

(Pode ser que este seja o único título com que muitos de nós nos apresentaremos um dia diante d'Ele: o de sermos seus filhos).

*      José Luiz Delgado
Professor de Direito da UFPE
*      Fonte: Diário de Pernambuco


segunda-feira, 4 de junho de 2018

60ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal de União dos Palmares





Início: 19:35h
Presidida por Jailson Vicente
Assessoria: Lu Andrade
ATA aprovada Belo

Expediente da semana
Convocação de reunião da comissão de legislação e justiça, a fim de deliberar a LDO;
Indicação de Manoel Messias e Alan Elvis para o prefeito que siga e execute a lei do Fundef e faça o “rateio” dos recursos com a folha 40 e 60;
Projeto de lei 048/2018 que visa a doação de terrenos (117 terrenos)


Ordem do dia:
Indicação do vereador Manoel Messias solicitando da Seinfra que faça a limpeza das Ruas dos bairros,

Facultada a palavra
Cicero Aureliano
Parabeniza o secretário Nenzinha e o grande empenho do prefeito Kil na doação
dos terrenos;
Repudia o atraso dos trabalhos das comissões na elaboração de pareceres;

Elton Caju
Explica que vai avaliar todos os contratos de doação de terrenos;
Solicita da mesa diretora a criação de uma comissão para avaliar os projetos;
Diz que recebeu denúncias acerca de algumas escolas na zona rural que estão sem merenda;
Informa que existe um projeto de um empresário que visa fazer o monitoramento por câmara no município;
Requerimento para SEINFRA solicitando a retirada dos entulhos que há 40 dias não são recolhidos pela caçambas;

Ricardo Praxedes
Requerimento para a secretária de saúde solicitando informações atuais sobre o tratamento de glaucoma;

Manoel Messias
Requerimento para Luzup solicitando iluminação da praça da COHAB;

Ailton Tenório
Diz que é favorável a doação de terrenos para quem já está gerando emprego;

Requerimento para a SEINFRA solicitando a limpeza do lixo localizado na ponte dos terrenos;

Paulo Neto
Informa que foi procurado pelo proprietário da rádio comercio o qual lhe informou que quem se sentir incomodado com o barulho, entre em contato com o proprietário que será retirada as caixas; (Fone: 9631 6880 Emerson Rádio Comercio)

Diz que 80% dos terrenos estão sendo regularizados e não doados;


Término da sessão: 21:50h







terça-feira, 29 de maio de 2018

59º Sessão Ordinária da Câmara Municipal de União dos Palmares



Início: 19:35h
Presidida por Jailson Vicente
Assessoria: Lu Andrade
ATA aprovada sem discussão

Expediente da semana

Ofício do Ministério da Educação informando liberação de recurso provenientes do PDDE para o município; (Escolas: Edvar de Souza, Maria Augusta Sarmento, Elisabete Santos, Pedro Pereira da Silva, Jairo Correia Viana, Laura Pereira da Silva.)

Ofício de JHC informando que foi criada uma comissão na câmara federal a fim de fiscalizar o uso dos recursos do FUNDEF;

Ordem do dia:
Requerimento do vereador Paulo Neto solicitando do prefeito aquisição de lixeiras de coleta seletiva;
Requerimento do vereador Paulo Neto solicitando do prefeito reconstrução do posto de turista e capacitação de profissionais para receber o turista;
(Maria diz que não existe secretaria de turismo nem de cultura em União, só teve um pequeno avanço com Iran Menezes );

Facultada a palavra
Dé Mototaxi
Ofício de pesar para a família de Adelson mototaxi
Requerimento para o SAAE solicitando a ampliação da rede de água nos frios, sentido Camaratuba;  

Cícero Aureliano
Explica os trâmites para do projeto que visa regularizar a doação dos terrenos aos comerciantes e membros de igrejas dos bairros Newton e Nova Esperança;

Rafael Pedrosa ( primeira fala em plenário )        
Requerimento solicitando do governador a criação de uma base da PM nos bairros Newton e Nova Esperança; (sugestão de audiência pública)

Elton Caju
Informa que recebeu na comissão de legislação e justiça as denúncias do vice prefeito e as contestações do prefeito e informa que na próxima semana emite o parecer;


Maria de Tutu
Requerimento para secretaria de Ação Social a aquisição de cadeiras de rodas, cadeiras de banho, fraudas e nebulizadores para as pessoas carentes;
Diz que governo, mas não pode ficar calada vendo o povo morrendo, sem remédio, sem ambulância e sem atendimento; 

Ricardo Praxedes
Informa que a secretaria de saúde admitiu que o município tinha convenio com o IOFAL, mas nunca declarou os serviços prestados;

Elton Caju
Requerimento para secretária de saúde solicitando informação acerca dos convênios com laboratórios de União;
Término da sessão: 21:20h

sábado, 26 de maio de 2018

Vereadora denuncia em audiência pública a falta de ambulância para atender à comunidade palmarina


Presença da secretária, fez lembra a visita do prefeito: Tá tudo "SERTO".  



Nesta quinta feira, 24, Geane Vergeti,  secretária de saúde,  prestou contas de seu primeiros meses de gestão em audiência pública na câmara municipal, que contou apenas com alguns vereadores e servidores da saúde.  Nenhum presidente de associação esteve presente, a falta de divulgação da audiência talvez fora o motivo da não participação, pois fiquei sabendo por acaso, motivo este que só participei de metade da reunião.

Contudo, a secretária usou a parte inicial da audiência para prestar contas de seus trabalhos realizados e divulgar metas futuras. Quando foi facultada a palavra, confesso  que mediante ter chegado atrasado, fiquei acanhado de perguntar acerca das 13 licitações deixado pelo ex-secretário, do uso de combustível  sem controle na secretaria devido ao não funcionamento dos velocímetros dos carros da saúde,  das faltas de exames e médicos no posto referência Zé de Lima, onde frequento, e tantos outros itens não enxergados  pelos participantes.

Mas nem tudo ficou perdido, a vereadora Maria de Tutu questionou a ausência de ambulâncias e a falta de exames referente ao  glaucoma, essas foram as cobranças,  para os demais vereadores presentes, só restaram elogios, me fez lembrar a visita do prefeito na câmara, cobranças zero.

Portanto, mesmo sem a participação efetiva da comunidade, valeu a intenção da secretária em fazer valer a lei orgânica e prestar contas a comunidade, pena que o convite não chegou a quem de fato tinha interesse da realização da audiência pública.

UNIÃO: ORGULHO E VERGONHA NO ÚLTIMO MEIO SÉCULO.


União precisa ser, também, a terra da Josefa, do Cícero, do Antonio, do João, do Marcelo...



Gilson Monteiro, Jornalista Palmarino

  • Nos últimos 50 anos passaram pela prefeitura de União dos Palmares 15 prefeitos. Meio século de gestores de todas as ideologias e partidos que deixaram um saldo minguado de realizações. Tão minguado que, em pleno século 21, candidatos ainda usam adjetivos como “mudança” e “avanço” em seu marketing de campanha.
    Obviamente que correligionários, puxa-sacos e apaixonados ideológicos pelas sopinhas de letras partidárias vão levantar a voz e dizer que fulano fez a praça tal, beltrano calçou um bairro, e até mesmo dizendo que minha visão é pessimista. Mas vamos por os últimos 50 anos de administração de União na mesa e verificar: O que realmente foi feito nesse meio século?
    Há meio século as precárias ambulâncias carregam doentes para a capital, seja para curar um câncer ou uma infecção intestinal.                                                                                
  • Há meio século União convive com doenças como esquistossomose, verminoses e tuberculose. Mazelas do século 17, quando a cidade foi fundada. Ou seja, nem nas doenças a cidade se “modernizou”.
    Há meio século a Santa Fé vive num estado de miséria vergonhoso, inaceitável e constrangedor para qualquer cidadão que tenha direito às três refeições diárias. Gente tratada feito bicho, cuja única diferença de um animal está no fato de que portam título de eleitor para sustentar a elite. Nada mais.
    Há meio século os grupos culturais sobrevivem sem apoio, mendigando um troco para dar uma contribuição crucial com o crescimento social do município, mas que os gestores ignoram para não modificar sua política do pouco pão e circo de péssima qualidade.                                                                                                                                     
  • Há meio século estudantes se espremem em ônibus para vir estudar em Maceió, com a agravante que nesta última década precisam pagar por isso.
    Há meio século os palmarinos vivem ou do trabalho no setor sucroalcooleiro ou do pequeno comércio, que apenas inchou, fazendo milhares de pais e mães de família ratearem meia dúzia de fregueses sem perspectiva de crescimento.
    Há meio século que os palmarinos são “empregados” por um comércio desumano, que rasga as leis trabalhistas, transformando o trabalhador numa máquina automatizada, sem folgas ou tempo para qualificação.
    Há meio séculos pré-adolescentes vivem de “carregos” na feira-livre como forma de sobreviver dignamente, perdendo a infância e juventude, e o pior, deixando a escola em segundo plano.
    Há meio século o Roberto Correia de Araújo/Vaquejada incham, se transformando, sob os olhos dos gestores, num verdadeiro mostro urbano tomado pela miséria e pela violência.

    Essas respostas são minhas, mas podem ser colocadas na boca de qualquer morador que testemunhou os 50 anos da cidade. Acho difícil discordar que mudança e avanço não estão no dicionário dos gestores de União há décadas. Por isso acho constrangedor, irônico, um verdadeiro acinte, seja qual for o grupo político falar em “mudança”, “avanço” ou qualquer outro adjetivo hipócrita do tipo.
    União não cresceu. Inchou. E “progredimos” sim, mas no pior sentido da palavra, pois já temos drogas, fome e prostituição. Nossa política nojenta de surrupiar os cofres do município inconsequente e desumanamente conseguiu “importar” o que há de pior nos grandes centros urbanos.                                                                                                                                                                                                                                         
    Chega a ser chocante constatarmos que esse cenário pertence a um município que recebeu do governo federal, via transferência de recursos, R$ 262 milhões, arredondando-se para menos, somente nos últimos 5 anos. (Dados do Portal Transparência)                                                                                                                            
  • União é, e tenho orgulho disso, a terra de Jorge de Lima, Maria Mariá e Zumbi. Mas a luta de Zumbi na Serra da Barriga, um marco nacional, precisa fazer parte do nosso passado, e não permanecer se repetindo no presente das periferias miseráveis de União. A Nega Fulô precisa se transformar de vez em poesia, e não permanecer nas cozinhas nada literárias da atual elite que ainda não se deu conta da Lei Áurea. E para isso, é preciso termos pelo menos, um naco da inteligência e caráter que teve nossa imortal Maria Mariá.                                                                                                                                 
    União precisa ser, também, a terra da Josefa, do Cícero, do Antonio, do João, do Marcelo, do Sebastião, da Madalena e de tantos outros que estão escrevendo o futuro de uma terra que ainda não conheceu, de fato, a liberdade.

    P.S.: Para os desavisados, sou palmarino, mas voto em Maceió. Não sou nem azul nem do encarnado!  Gilson Monteiro.
               Artigo publicado em  setembro de 2012