Páginas

domingo, 2 de abril de 2017

Prefeitura recorre à justiça visando manter a organização da feira livre de União.

O projeto de organização oriundo do Poder Executivo tem apoio da maioria absoluta dos palmarinos

Antes

Depois

Apos a equipe gestora provar que a feira livre pode ser organizada, colocando os produtos de forma setorizada garantindo a acessibilidade, segurança e a viabilidade de compras e vendas,  a gestão, a maioria dos  feirantes, comerciantes, além da  comunidade palmarina, todos  foram pegos de surpresa com a decisão do Des. Tutmés Airan de Albuquerque Melo impugnando Decreto 13/2017 do prefeito Areski de Freitas.

Uma das justificativa apresentada pelo advogado Rivaldo Rodrigues da Associação dos feirantes para a volta da feira "tudo junto e misturado", foi as promessas de campanha do prefeito, além determinação de saída imediata dos feirantes das ruas do centro da cidade, sem indicar nem preparar um novo local estruturado para eles.
("Narrou que, contrariando promessas de campanha, o atual gestor do município editou o Decreto 13/2017 determinando a saída imediata dos feirantes das ruas do centro da cidade, sem indicar nem preparar um novo local estruturado para eles")Pag. 01.

É fato que nesse "confronto" todos saem perdendo, e a comunidade que vibrou com uma semana de feira organizada, passa a não acreditar nos que dizem querer o desenvolvimento de União dos Palmares, pois agem defendendo interesses pessoais, esquecendo da coletividade.  


A prefeitura recorreu da decisão Des. Tutmés Airan e acredita que conseguirá reverter no TJ a situação, pois conta com o apoio da comunidade e dos próprios feirantes que defendem a organização da feira, que foi comprovado no último sábado que precisa de acessibilidade, sobretudo segurança.

Portanto, esperamos que tudo se resolva em paz e que esses guerreiros que vivem do comercio ambulantes possam trabalhar e garantir a sua sustentabilidade, pois sabemos que com a organização no futuro todos sairão ganhando

Nenhum comentário: