Páginas

domingo, 24 de julho de 2016

Município defende a manutenção do selo UNICEF com 13 mil alunos fora das salas de aula

Escravidão moderna: SEMED de União adia mais uma vez o inicio das aulas deixando 13 mil alunos fora das salas de aulas e mil contratados sem receber o salário de julho.


Foto de aquivo


Essa semana o município de União deu um passo largo a fim para a manutenção do selo UNICEF, foram muitos meses de trabalhos, planejamentos e muitos reclames também  da ausência do governo nesse sentido. União deverá manter o selo, pois tem uma equipe comprometida com a causa, contudo falta muito para ser referência em atendimento e serviços voltados para a infância e juventude.

Enquanto o projeto de manutenção é defendido, mais de 13 mil alunos estão fora das salas de aulas e mil contratados sem receber o salário de julho por falta de planejamento e transparência na aplicação dos recursos oriundos do FUNDEB. O governo Pedrosa/ Praxedes mostra-se totalmente omisso no quesito comunicação e transparência. Até o momento o sindicato da categoria espera pela apresentação das folhas de pagamento prometida pelo secretário Bruno Praxedes, hoje representado pelo irmão.

O município de União apresenta os piores índices do IDEB do País, e não percebemos perspectiva de melhoras, nossos alunos passam a maior média de tempo do país fora das salas de aula, nosso ano letivo é o último a começar e o primeiro a terminar, a troca constante de contratados para atender aos pedidos de políticos (bancada do governo) é um dos maiores obstáculos na educação básica, desabafou uma servidora da SEMED que pediu sigilo no seu nome.

Portanto, mediante o exposto, está clara a falta de compromisso “dos governos” com a educação, nossa educação não poder ser tratada como cabide de emprego visando o voto. Precisamos fortalecer os sindicatos e conselhos municipais a fim de garantir a aplicação justa dos recursos dos FUNDEB.

Negar direito é crime.

Professor Nivaldo Marinho.Com
#Sem Maquiagem!



Nenhum comentário: